As empresas do século XXI precisam se adaptar ao ambiente em constante mudança. Atualmente, as empresas representam uma mistura curiosa de economia antiga e nova. Uma grande quantidade de pesquisas já foi feita com relação à economia antiga, mas, para a nova economia, as empresas estão aprendendo isso da maneira mais difícil. As empresas precisam escolher com sabedoria os elementos da velha e nova economia para construir um modelo de negócios que traga valor à empresa.

A revolução tecnológica, a globalização e os fatores de desregulamentação do mercado estão entre muitos que esculpem a nova economia. Esses três fatores interagem entre si em diferentes níveis, criando a força motriz da nova economia. A velha economia estava cheia de dispositivos analógicos, que funcionavam em uma onda de sinal contínua, por exemplo, registros de gramofone. No mundo de hoje, os sistemas e dispositivos funcionam com tecnologia digital, onde as informações são transportadas em um e em zero. No entanto, essas informações digitais não podem ser trocadas entre dispositivos sem conectividade por meio de redes a cabo ou sem fio. Essa conectividade é alcançada através da intranet, extranet e internet.

A Internet permitiu que players como Yahoo, Amazon e eBay oferecessem produtos como músicas, livros, roupas etc. diretamente aos clientes. Esse movimento desestabilizou os distribuidores e varejistas tradicionais, fazendo com que alguns encerrassem seus negócios. No entanto, alguns dos players desenvolveram portais online para oferecer seus produtos e serviços que, por sua vez, desestabilizaram novos players online. Alguns dos jogadores antigos foram bem-sucedidos com a ajuda de sua força de marca e modelos de negócios fracos de jogadores on-line puros.

Na economia antiga, o foco era apenas padronização, produção em massa e política de marketing singular. No entanto, com a quantidade de informações disponíveis na nova economia, as empresas são melhores para entender os consumidores. Esse melhor entendimento levou a produtos personalizados, uma mudança da padronização. No entanto, essa personalização tem suas desvantagens não apenas para as empresas, mas também para o cliente. As empresas acham difícil manter o nível de custo de produtos personalizados para registrar lucro. A personalização é impossível para produtos que exigem engenharia industrial complexa. O cliente não conhece a aparência real do produto até que esteja totalmente concluído e também a política de devolução não está presente na personalização.

O novo funcionamento da economia mudou a maneira como as empresas abordam seus negócios. As empresas estão ansiosas para expandir seus segmentos de mercado para obter o máximo de participação de mercado, mantendo o foco estritamente nas necessidades dos clientes. Pois essas empresas estão fazendo mudanças organizacionais onde os departamentos são desenvolvidos para gerenciar um segmento e não um produto. As empresas estão ansiosas para desenvolver o valor da marca com base no consumidor para promover relações de longo prazo. As empresas estão lançando produtos, com desempenho superior à expectativa do consumidor, criando uma marca forte, enquanto a tarefa de branding anterior era realizada por meio de publicidade. As empresas estão tratando funcionários, canal de distribuição e fornecedores como parceiros de negócios e não como clientes.

Como as empresas mudaram a maneira como funcionam na nova economia, é imperativo que as práticas de marketing também se adaptem. Como os consumidores estão ansiosos para entrar na maior parte de suas compras on-line, as empresas buscam o comércio eletrônico (e-commerce) como um caminho a seguir. Pesquisas mostram que os usuários on-line costumam comprar música, software, livros, roupas etc. em vez de mercadorias como automóveis, casas etc. Os compradores de empresas também estão entrando on-line e também os fornecedores, reduzindo substancialmente o custo do estabelecimento. O comércio eletrônico também abriu portas para a relação cliente a cliente por meio de redes sociais e fóruns da comunidade, nos quais a experiência e a discussão são feitas com relação aos produtos. Através da internet, os consumidores podem fornecer feedback mais rápido às empresas em relação a produtos e serviços.

À medida que as empresas estão se movendo on-line, o foco muda para o desenvolvimento de sites para fornecer uma experiência confiável e correta aos consumidores. O design, a manutenção e a segurança do site são de suma importância para criar uma impressão favorável ao consumidor. O marketing e a publicidade on-line têm destaque nesta era da internet.

A nova economia havia apresentado desafios e oportunidades não apenas para as empresas, mas também para os consumidores.